07 janeiro, 2007

Jimi Hendrix - Burning Desire (2006)

Ah, Jimi Hendrix. Uma coisa que todo mundo gosta de imaginar (inclusive eu), é como ele seria se ainda estivesse vivo? Seria a mesma pessoa? Claro que não. E sua música, mudaria? Claro que sim.
Mas e quanto ao grande guitarrista que ele é, seria ainda considerado assim? Falar em certeza é desprezar o bom-senso, mas algo me diz que sim, ele seria!

Hendrix veio de um tempo onde não existia nada em termos de guitar hero, praticamente inventando o título e o estilo. Também inventou toda a gama de pedais, braços, captadores e auto-falantes para se apresentar. Ora, ele conseguia utilizar a distorção da guitarra a seu favor, algo raro de se ver em um guitarrista. Clapton já disse que naquele tempo, ao primeiro acorde de uma guitarra, ela praticamente desafinava (gostaria de ver esse bando de guitarrista ditos "técnicos", com o monte de pedaleiras e afinadores eletrônicos naquele tempo. Não é mesmo John Petrucci? XD ).

O único cara atual que faz remotamente você pensar nele é Steve Vai, outro cara que sabe utilizar a desafinação e a quebra da corda de uma guitarra a seu favor. Em uma pesquisa na internet, procurando por um álbum do Pantera, me deparei certa vez com uma discussão sobre quem seria o melhor guitarrista: Dimebag Darrell ou Jimi Hendrix.

Não me entenda mal, eu acho Dimebag um puta guitarrista e dos bons. Mas só em sonho ele conseguiria chegar a ser a ponta da palheta de Hendrix, o que diria tocar mais que ele (quem fez a pergunta era um moleque de 12 anos, começando a estudar guitarra, portanto vamos dar um desconto a ele e ensiná-lo a prestar atenção, certo? Afinal, a juventude está aí justamente para se cometer erros, ao contrário do que as pessoas pensam).

Ah, o álbum, é mesmo. :D
Esse disco é uma jam de estúdio de Hendrix, na época que ele tocava com o baixista Billy Cox e o baterista Buddy Miles no Band of Gypsys, e foi gravado no Record Plant, entre 1969/1970. É mais uma daquela montanha de gravações que Hendrix fez e nunca tinham sido lançadas (para quem não sabe, Hendrix ao morrer tinha gravado somente três álbuns de estúdio e um ao vivo, com a citada Band of Gypsys, mas deixou nada menos do que 300 seções de gravações acabadas. Ele entrava em estúdio e simplesmente gravava tudo o que criava).

Em VBR



01. Izabella 4:25
02. Ezy Ryder/MLK (Aka Captain Coconut) 20:01
03. Cherokee Mist/Astro Man 4:55
04. Record Plant 2X 11:04
05. Villanova Junction Blues 4:57
06. Burning Desire 9:49
07. Stepping Stone/Villanova Junction Blues 6:39
08. Slow Time Blues 3:49

Part 1
Part 2

4 comentários:

Michel disse...

Caro Hazzamanazz,

Este é o meu primeiro post (apesar de já ter baixado trocentos discos...), logo parabéns pelo site. Curto bastante seus textos e também seus comentários no Omedi.

Eu comecei a rabiscar o símbolo do Iron nos meus cadernos de escola quando eles lançaram o The Number of the Beast. Já nessa época eu escutava esse tipo de comparação do Jimi versus qualquer guitarrista do momento.

Primeiro foi com Van Halen, depois Dave Murray, Vai, Malmsteen, Satriani, Vernon Reid, Dimebag, Petrucci e milhões de outros.

Bom, o negão é eterno e sempre será comparado a qualquer outro guitar man. Eu não consigo pensar num elogio maior!

Quer mais? Pois não dá para encarar um disco sem solos de guitarra. Daí esqueça St Anger, Powerwolf etc. (punk é outro papo, eu sei, mas não é esse o ponto).

Quanto ao Powerwolf: caro Barbarian, o som é legal, mas SOLOS DE GUITARRA SÃO SACRIFÍCIOS AOS DEUSES DO METAL!! Como não dá para sacrificar alguns touros ou virgens, vamos de solos em tudo quanto é música.

Agora com licença, vou escutar Machine Gun!

Anônimo disse...

AH,NÃO!

DEPOIS DISSO,EU VOU ACABAR MESMO DESENVOLVENDO PERSONALIDADES MÚLTIPLAS!!! O CARA ESTÁ "SE SUPERANDO-SE" (SIC)...É UMA ATRÁS DA OUTRA?!
ENTÃO, QUER DIZER QUE O BATERISTA DO JIMI HENDRIX ERA O MUDDY WATERS?
CARALHOOOOOOOOOO !!!
E AQUELE BLUESMAN DE CHICAGO FAMOSO E IDOLATRADO POR JOHNNY WINTER, BUDDY GUY, LUTHER ALLISON,ERIC CLAPTON E OUTROS É O BUDDY MILES???
DEFINITIVAMENTE,HAZZAMANAZZ,SEU CASO É DE INTERNAÇÃO!!! VOCÊ ESTÁ QUERENDO OCUPAR A VAGA DO COSTINHA OU DO BUSSUNDA?! JÁ GANHOU, JÁ GANHOU!!!
TENHO UM AMIGO QUE TRABALHA NO BARRA D'OR QUE PROVIDENCIARÁ UMA SUÍTE PSIQUIÁTRICA PARA VOCÊ, SEM CUSTOS!!! VAI TER DANONINHO INTRAVENOSO, CACHAÇA PARAGUAIA BABALU EM CÁPSULAS E,CLARO,EU NÃO ESQUECERIA, O "VITAMINADO" ARROZ INTEGRAL COM CANNABIS E BRÓCOLIS...
ASSIM NÃO DÁ...TSC,TSC,TSC...ASSIM NÃO DÁ.
HOLANDA POR DINAMARCA, BLACKFOOT POR BIGFOOT...MUDDY WATERS POR BUDDY MILES...O QUE VIRÁ A SEGUIR, Ó PODEROSA POMBA-GIRA KAVAGINAEMBRASA???

ASSINADO:
A) ANÍBAL BARCA;

B) VERCINGETÓRIX;

C) ESPÁRTACO;

D) GORRIONCITO PECHO AMARILLO;

E) MIGUELITO NWOBHM

hazzamanazz disse...

Hehehehe...o que eu gosto do Miguel é que pelo menos ele entende do que eu falo (e presta atenção no texto). ;-)

Mas eu tenho pelo menos uma desculpa, véio: eu estava mesmo ouvindo Muddy Waters ao escrever o texto. :P

Vai ver foi o xarope de glicose, vulgo Karo, que eu ando comendo.

[ ]'s

Anônimo disse...

O que eu gosto no Hazzamanazz é a capacidade que ele tem de inventar desculpas "criativas" que são sempre usadas para justificar as suas,digamos,"derrapadas"...A saber:

- Eu estava ouvindo Blackfoot quando escrevi o texto do post sobre a NWOBHM...;

- Eu estava ouvindo Muddy Waters quando confundi o nome do baterista do Hendrix na Band of Gypsys...;

- Eu estava ouvindo Slayer quando pus o post do Pretty Maids e chamei de Holanda a Dinamarca...;

Sendo assim, e até que não foi difícil descobrir, o verdadeiro problema é que você sempre ouve ALGO quando deveria fazer tudo em silêncio,porra!!! Seu comedor de Karo...Cuidado para não acrescentar o "alho" e ficar mal visto,hein,crazy people!
No mais,a suíte psiquiátrica já está reservada. O número do quarto - bem apropriado - é o 2224.
O 22 é para o maluco e o 24...bem,é por sua amizade com o Barba. Hihihihi....Miguel (não sei por que acho que nunca mais vou ter um pedido atendido no blog...Que sensação esquisita...)